segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Fragata dos meus sentimentos

Há uma embarcação ao Léu
A deriva
Sem remos, sem velas, sem (nenhum) motor
Naufraga... Mar adentro
(fora)

Sem maré, correnteza, sem (menção de) vento
A deriva
Naufraga... Mar a fora (dentro)

E o cais (vazio), e o sol (a pino), e o mar (batendo)
A deriva
Segue sua nau... Seu atento

Maresia fragrante, com gosto de fel
Motivo de (meu) profundo lamento (dantes)
Naufraga... Tragada pelo horizonte

A deriva
Que vire relíquia, para Tritão e seus rebentos
Adeus fragata
Com os (meus) mais puros e simples sentimentos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentem!!