quinta-feira, 26 de abril de 2012

Mania


Rôo minha tranquilidade
Mastigo... Mastigo
até o cotoco

às vezes a cuspo fora
às vezes a engulo
às vezes por uma noite
Ponho uma postiça
Não aguento muito e arranco fora...
Ah... Uma hora ela cresce de novo!



sexta-feira, 23 de março de 2012

Fim do(s) tempo(s)

O tempo me ouviu dizer
Que ele estava quase no fim
Foi aí
Que as horas se atrasaram
Os minutos não mais correram
E os segundos viraram
Eternos segundos de dias...
E hoje vivo,segundo a segundo
De eternas horas de dias de meses de anos
Que nunca mudam...Que nunca passam...

quinta-feira, 8 de março de 2012

Pedra Filosofal

Poesia
Pura
Alquimia...
Poeta
Sábio
Necromante
Transmuta
Sua vida
Para dentro de
Outras
Vidas
Mesmo após
A sua morte.

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Carnaval


A morte dos demais se faz calada
Diante do alvoroço
Daqueles que festejam
Na avenida principal

Taparam os ouvidos para os

Gritos de horror
(Só ouvem o bumbo)
Taparam os olhos para as

Marcas de sangue no chão
(Só vêem os peitos de fora)

Taparam as narinas para o

Cheiro de putrefação
(Após tanto êxtase,nem
Mais cheiro sentem)


É carnaval;a festa da carne genuína

Calou-se a música
Extinguiu-se o brilho
Findou-se a serpentina

E todos os dias há

Um novo corpo
Numa nova esquina
Na ultima página
De um jornal qualquer
Do Brasil.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Fragata dos meus sentimentos

Há uma embarcação ao Léu
A deriva
Sem remos, sem velas, sem (nenhum) motor
Naufraga... Mar adentro
(fora)

Sem maré, correnteza, sem (menção de) vento
A deriva
Naufraga... Mar a fora (dentro)

E o cais (vazio), e o sol (a pino), e o mar (batendo)
A deriva
Segue sua nau... Seu atento

Maresia fragrante, com gosto de fel
Motivo de (meu) profundo lamento (dantes)
Naufraga... Tragada pelo horizonte

A deriva
Que vire relíquia, para Tritão e seus rebentos
Adeus fragata
Com os (meus) mais puros e simples sentimentos

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Enlace

A relíquia que vejo em ti
Me levou a desejar
Os tesouros que habitam
Sua alma

Procurei a entrada...
Em teus beijos
Nas carícias
Nos abraços

Mas olhando
Em teus olhos,percebi
Que a chave está comigo

Abrirei a porta e mesclarei
A sua alma em minha alma
Quando me tornar
Uma só carne contigo

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

sensação

Quando a alma chora
Parece que aflora
E faz a mente anestesiar

Pensar, refletir
Faz o corpo reagir;
Os olhos molhar, com
Lágrimas do sentir

E a boca secar
Com a angustia de
Um espírito abatido,
Desiludido

Com as circunstâncias
Inconstantes de
Um mundo que só se
Encontrará em Deus.

A alma chora, o corpo reflete
E o meu espírito, ainda abatido
Clama

Pois sabe que só se
Encontrará, em Deus,
Um único Deus,
Trino ,como eu.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

lágrimas


Estou tentando escrever

Em meio a dor
Em meio a confusão

Estou tentando reciclar,
Transformar
A sensação de angústia
Em inspiração.

Tentando traduzir
Em palavras, oque sinto
Mas nada aparece
Nas linhas
De minha mente confusa.

E dentre as linhas
Do papel
Tentando fugir da tristeza
Que me corrói.

Tentando descansar,me  derramando
Nas palavras
Tentando me derramar,me Quebrantando
Através das letras.

Estava tentando fugir.
Mas não vou mais tentar.
As linhas estão acabando
E a inspiração também.

O espaço no caderno é Pequeno
Pra ficar tentando me Esconder

E o meu coração está Apertado demais
Para que eu possa correr.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Blue

O amor é um mar
Infinito em sua profundidade...

Submergem os submarinos da alma
Mergulham sem garantias de volta
Sabendo que o oxigênio
Lhes será concedido
De acordo com a retribuição do ser amado

Quem ama. Mergulha.
Sem garantias
Com profundidade
Infinita.

Não sabendo se o seu ar
Tão precioso
Lhe faltará

Mesmo assim, mergulha.
Se entrega
Afunda...

No blue do amor.
O amor é um mar.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Sou teu sol




  Se sou teu sol
  És a brasa que me acende
  O calor que me alumia
  A chama que eleva o meu brilho
  Incentivando a amanhecer

  Se sou teu sol
  São teus beijos que me encendeiam
  Teus abraços que me inflamam
  Fazendo minha luz ofuscar

  Sou teu sol
  Ardo em teu olhar
  Enrubesço em tuas mãos
  Ruborizo em elogios
  Eternizo em teus carinhos

  Anoitece,e a luz permanece
  Nas lembranças, na saudade
  Na esperança ...
  De que logo, voltarei a nascer
  Pra ti, só pra ti
  Sol,teu Sol.

sábado, 3 de outubro de 2009

nao vivo sem meu sol



O sol
Não nasceu ontem ...
O dia foi inteiro cinzento
Por que não ouvi sua doce voz...
Nem deslumbrei esse seu sorriso
Que me aquece o coração
Saudade...
É o que me dilacera
Sentir seu perfumeé o que faz
Ser eu mesmo...
Não vivo sem sua luz
Não vivo sem meu sol

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Eu o amo de corpo

Eu o amo de corpo, como um homem!
Eu amo o seu andar,
Seu tamanho
Sua forma, seu cheiro,
O pinchaim de seu cabelo.
Eu amo a textura de suas mãos.
O rosado do seu lábio interior.
Eu amo o seu grande nariz.
Eu amo suas sobrancelhas,
Eu amo seus  pés.
E eu amo seus queridos olhos nos quais eu posso ver
claramente a vulnerabilidade e a beleza de sua alma.

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

**Romance**



A vida é um filme
Amores fingidos
Desafetos sentidos
Desgraças escondidas
Pela menina dos olhos
Que é a porta da alma
Que deságua por medo
De não ser só ficção

A vida é um filme
Quem dirige sou eu
um filme
Que dirige o eu
Cheio de mentiras
Efeitos de cinema
Beijos de novela
Imagens coloridas
Como na televisão

Sorrisos nostálgicos
Como intervalos comerciais
Entre dores reais e
Amores desiguais

Um romance ao vivo
Erros nas falas
         nas cenas
         nas caras

Um filme amador
Que ganha o mundo
Com suas ficções/reais
Cheias de contradições
E seu fim é impar
Desnexo
Baseado em incoerentes
Desilusões
A vida é um filme

sábado, 5 de setembro de 2009

Termos



O coração perdeu uma batida
Sem fôlego...
Desdém abominável, engano (permitido)
Consentido... Caprichoso

Suntuosa, sinuosa e irreconhecível
Estreita, imóvel. Medíocre formalidade
Polidez (exuberante)

Condições
Minúsculo Céu majestoso
Telhados de bandeja; profundo verdejante
Intensamente

Crepúsculo, brilho pálido
Satisfeito meramente
Reflexo intacto, torcido, protuberante...
Dissimulou. Repuxar desagradável
Extrema extremidade
Contente inclinação, ansiedade, distância
Cautela harmoniosa
Extinguiu-se

Elevado rústico, sereno, inteiro, imundo
Cruel
Recobrar parcial
Arrastar, instante atípico
Leveza ante orgulho
Voltar-se, curva entorpecida
Rosto-duro, vacilante...

Aquecida e úmida, arruinado
Isento, reto, exato

Afortunadamente
Alívio óbvio
Instante

Honestidade interminável, elaborada
Expor maciço, ficar escuro
Passou uma sombra

Intuição
Imenso longínquo, insuficiente, momentâneo
Excitou-se.
Ênfase impensável

Sorriu atravessada, corou...
Hostil razoável... Fugazmente
Ligeiramente
Nobre silêncio. Sutil. Contemplar celestial
Caloroso, sublime túmulo
Estilhaço...